TODAS AS DICAS
INÍCIO DICAS

16 de abril de 2018

Dicionário do Surfista: Os termos mais usados de A a Z!

CONFIRA

O Dicionário do Surfista

Você já se sentiu como um estranho tentando participar de uma discussão com os surfistas? Ou ficou duvidoso ao ler artigos sobre surf? Com este dicionário, você terá todas as cartas na mão para decodificar esta linguagem particular que contribui para a mistificação e beleza deste esporte!

A

Aéreo – Abrimos o Dicionário do Surfista com uma manobra para surfistas experientes. Para pegar velocidade suficiente, use a onda como um trampolim e pule sobre a crista (parte de cima da onda, com muita velocidade), faça um movimento no ar para completar a manobra com uma aterrissagem em pé (para valer a pontuação), continuando na onda. Uma das manobras mais fantásticas do surf. É até engraçado falar que é uma única manobra apenas, devido a multiplicidade de variações;

Alma (Stinger) – Nervo de madeira colocado no meio do ‘foam’ (saberá o que é isso na letra F do Dicionário do Surfista) para dar resistência e dureza à prancha de surf;

Aloha – Palavra da língua havaiana que pode ser usada como saudação ou despedida (olá ou tchau). Antes de se transformar em saudação era usada como demonstração de afeto, paz e compaixão;

Amarradera – Nas Ilhas Canárias (Espanha) e em algumas partes da América do Sul chama-se assim a cordinha ou leash;

Arrebentação – A zona de arrebentação é a linha da praia onde as ondas normalmente quebram quando chegam. O surfista deve ficar atento ao posicionamento para pegar as ondas antes delas quebrarem;

B

Backdoor –  Entrar em um tubo pela parte contrária do pico. Também chamada de à “direita de Pipeline”;

Back-Paddling (Snaking) – Roubar uma onda do outro surfista remando por trás dele, “serpenteando”, para conseguir a melhor posição;

Backside – Quando o surfista desce a onda de costas para a parede. Ou seja, sendo regular, é quando ele pega uma onda para a esquerda. Sendo goofy, é quando ele pega a onda para a direita. Geralmente é mais difícil do que o frontside;

Backside Tail Slide – Deslizar o tail ou a cauda da prancha de surf sobre a parte superior da onda;

Baggies (Boardshorts) – Termo usado pelos surfistas na África do Sul para se referir aos calções de surf (masculinos e femininos);

          Dicionário do Surfista           Dicionário do Surfista

Bancada – Composição do fundo do mar em determinado local. Pode ser de areia, pedra ou coral. É muito comum se referir ao pico como “bancada de Pipeline”ou “bancada de Teahupoo”, por exemplo;

Banco de Areia – Quando o mar com fundo de areia possui um bloco mais raso no meio do nada;

Bateria ou Heat – Nas competições, o período em que os surfistas entram no mar para as disputas entre si é conhecido como bateria (heat em inglês). As baterias do WCT duram 35 minutos, geralmente, e podem ter 3 ou 2 surfistas;

BatidaOutra manobra de surf neste Dicionário do Surfista. Consiste em ir em direção ao lip com velocidade, deixar o bico da prancha sair como se fosse dar um aéreo e voltar através de uma rasgada descendo a onda novamente;

Beach break – É um local onde as ondas quebram nos bancos de areia, de modo que não quebram regularmente e em lugares idênticos. Estas são geralmente ondas curtas;

Big Rider – São os surfistas de ondas gigantes, que encaram verdadeiras bombas de mais de 4 metros podendo a chegar a mais de 30 metros;

Bomba ou MorraNo Dicionário do Surfista, essas palavras significam ondas que os big riders surfam, de mais de 4 metros, podendo ser maiores do que um ônibus ou um prédio. Imagina surfar um prédio? As vezes o termos é usado também quando vem uma onda muito grande numa série, por exemplo, a série está com 1,5m e vem uma onda de 2m. Esta pode ser considerada uma bomba;

Board – Termo traduzido do inglês para se referir ao quadro (surf);

Bodyboard – Prancha que se desce a onda deitado;

Dicionário do SurfistaDicionário do SurfistaDicionário do Surfista

Brother (Brô)Irmão em inglês é uma das formas como os surfistas se chamam;

Botton turn – O bottom-turn (volta interior) é uma manobra que costuma ser feita no início da onda logo após a decolagem. É uma curva para baixo da onda para voltar a crista, onde há mais poder;

C

CaôNo Dicionário do Surfista, isso significa mentira;

Carving – A manobra esculpida (ou escultura) é uma curva no trilho da placa, para se aproximar da espuma, uma área onde a onda ainda tem o poder de oferecer;

Cavada – Nesta manobra, o surfista faz uma curva na base da onda para ganhar velocidade para ir na direção da crista;

Clássico – Quando um pico apresenta suas melhores condições de vento, ondulação e fundo. Nesses dias as paredes das ondas ficam perfeitas, ou como diriam os surfistas, abrindo, conectando as seções;

CrowdQuando um pico tem muito mais surfista do que onda costumamos falar que ele está “crowdeado”;

Cut backManobra que desencadeia um corte quando a onda perde energia. Em seguida, se faz uma curva arredondada até a espuma para encontrar e começar na direção natural da onda. Se um surfista não voltar atrás apenas no sentido natural, mas fizer uma espécie de rolo na espuma ou na crista, ele então realiza um corte “roundhouse“;

Dicionário do Surfista

D

DeckBorracha que algumas pessoas colam em cima da rabeta da prancha para colocar o pé de trás;

DireitaOnda que quebra para a direita. Para pegá-la, o surfista deve se direcionar para a direita depois do drop;

DropÉ o ato de descer a onda para surfar a parede ou ir reto na espuma depois que ela quebra;

E

EsquerdaOnda que quebra para a esquerda. Para pegá-la, o surfista deve se direcionar para a esquerda depois do drop;

F

Flat – É quando não há semelhança de uma onda na água, a tradução literal é “plana”, então é quando o corpo de água é completamente plano, quando se parece com um lago;

Floater – É uma manobra que envolve passar uma longa seção deslizando sobre a crista;

Foam – É a matéria-prima que constitui o núcleo da prancha de surf;

Free-SurferSurfista de alma, que surfa apenas pelo prazer. Não gosta de competição e confusão. Curte a natureza e o lifestyle do surf;

FrontsideQuando o surfista desce a onda de frente para a parede;

G

Glassy – Termo comumente usado para designar a superfície das ondas como o óleo, sem costeleta, sem rugas. Quando as ondas são vítreas, o deslizamento é mais fluido, mais agradável e a sessão promete ser perfeita;

Goofy – Você é goofy, segundo o Dicionário do Surfista, se você surfar com o pé direito na frente. Neste caso, prenda a cordinha ao pé esquerdo (pé de trás);

Grab RailQuando o surfista está surfando de backside, se abaixa e coloca a mão na borda da prancha para pegar um tubo;

H

Haole – É o cara que não é daquele pico, mas vem de fora para surfar ali;

I

Inside – O interior é a última seção da onda, a que quebra mais perto da faixa de areia, por conexão com a seção externa ou por reforma;

J

John – É a famosa roupa de neopreme (borracha) usada pelos surfistas nos dias de frio;

Dicionário do SurfistaDicionário do SurfistaDicionário do Surfista

L

Lay Day – É o famoso e nada agradável dia sem ondas, com mar totalmente flat. O termo é muito usado em competições, mas já pode ser ouvido no vocabulário do surfista comum também;

LeashLeash é a corda de segurança que liga o surfista a sua prancha, para evitar perdê-la em caso de queda. Pode ser de diferentes comprimentos e diâmetros, para caber em todos os tamanhos de pranchas e ondas;

Dicionário do SurfistaDicionário do SurfistaDicionário do Surfista

LipA crista é a parte mais alta que cai quando a onda se rompe. Quanto mais espessa ela for, mais forte será a onda;

Line up – Quando um surfista acaba de evoluir em sua onda, ele deve retornar para onde começa a quebrar: o alinhamento. Esta é a área atrás da arrebentação, onde os surfistas esperam sua vez para pegar uma onda;

LocaisSegundo o Dicionário do Surfista, são os nativos de um pico, pessoas que moram próximos dele e acabam surfando quase sempre ali. Não confundir com localismo, que é a prática de uma espécie de “xenofobia” com surfistas que não são do pico em questão;

Longboard O longboard é uma prancha de surf espessa e muito longa: mede mais de 9 pés (2,75 m). Este surf é particularmente recomendado em ondas pequenas e suaves, mais gordinhas para um deslize mais longo;

LycraRoupa de surf flexível para os dias de água menos fria;

Dicionário do SurfistaDicionário do Surfista     Dicionário do Surfista

M

Mahalo – Marrálo, como se pronuncia, significa “obrigado” na língua havaiana. É considerada uma palavra sagrada assim como “aloha”;

MaralVento que sopra do mar em direção a terra, deixando-o storm ou mexido. É pior para as condições de surf, pois faz com que as ondas quebrem mais rápido, fechando;

Maria-parafina – No Dicionário do Surfista, esse termo cabe àquela mulher que adora “dar mole” para os surfistas;

Marola ou Merreca – Mar muito pequeno, mas com alguma condição de surf;

N

Noseride – Falamos de noseride ou noseriding, quando um surfista desliza na onda, tendo os pés na frente da prancha (o “nariz”). Esta manobra é essencialmente em longboard;

O

Offshore (wind) – Um vento é chamado de “offshore” (também chamado de vento da terra), quando sopra do solo em direção ao mar. É particularmente apreciado pelos surfistas porque se trata de cavar as ondas até criar, de acordo com as manchas, tubos. Geralmente, quando o vento está no mar, suaviza a superfície das ondas para se tornar “vítreo”;

Onshore (wind) – Um vento é chamado “onshore” (também chamado de vento do mar), quando sopra do mar para o chão. Ele tende a achatar as ondas e criar chop. Menos favorável para o surf;

Outline – O contorno corresponde à silhueta de uma prancha de surf, vista de cima, e determina seu comportamento na onda. É uma combinação de comprimento, largura, posicionamento do ponto largo e a forma da cauda. Os principais destaques são: peixe, shortboard, evolutivo, mini malibu, longboard

Outside – O exterior se refere à primeira seção da onda, que geralmente se divide no fundo;

Dicionario-do-surfista

P

Pad – Elemento, muitas vezes em EVA, que adere à parte de trás da prancha, para evitar que o surfista escorregue;

ParedeQuando a onda abre e quebra da esquerda para a direita, dizemos que a parede está se formando na direita da onda, pois é literalmente o que você vai ver se olhar para a direita na onda;

Period – O período é o tempo que separa duas ondas consecutivas. Ele é indicado na previsão do tempo ao lado do tamanho da onda e é expresso em segundos. Quanto maior o período, mais rápido as ondas serão fortes e rápidas;

Peak – Ótima área para pegar a onda. Geralmente, onde a inclinação é mais íngreme;

PicoPonto favorável a prática do surf;

Point break – Neste tipo de ponto, as ondas quebram envolvendo um ponto ou uma capa. Geralmente graças a um fundo rochoso, mas às vezes arenoso;

Prioridade – O surf e o bodyboard são bem conhecidos por serem esportes gratuitos, no entanto, todos os surfistas precisam conhecer as regras de prioridades para manter uma boa harmonia da água. Os objetivos são evitar acidentes e respeitar as ondas de cada um. Naturalmente, a regra mais importante é a de boas maneiras e cortesia. Seja gentil e sempre estará correto;

Q

Quatro end – Prancha de surf com 4 quilhas;

R

Rabear – É algo que não se deve fazer no surf! No Dicionário do Surfista, é aquela situação quando um surfista já está na onda, descendo a parede, e outro surfista dropa na frente dele, impossibilitando que o primeiro continue na onda;

Rabeta – Parte de trás, ou rabo, da prancha;

Rail – Os trilhos são os lados da sua prancha de surf. Eles têm um papel crucial, porque eles vêm para ficar na água durante uma curva apertada. Este é o ponto de ligação do seu surf! A forma do trilho varia a flutuabilidade, a capacidade de manobra e o nervosismo da sua prancha;

RasgadaMais uma manobra. Quando o surfista sobe na onda e faz um movimento brusco de descida em seguida;

Reefbreak – Nestas manchas, as ondas são regulares, muitas vezes longas e muitas vezes tubulares. Estes são os recifes que causam a quebra das ondas. Geralmente em corais;

Regular – Você é regular se surfar com o pé esquerdo na frente. Neste caso, prenda a cordinha ao pé direito (pé de trás);

Remada Movimento de braçadas alternadas que o surfista faz para se locomover quando está deitado na prancha;

Rock Musician – A curva longitudinal (vista lateral) da sua prancha é chamada de “rocker“. Tem uma grande influência no comportamento do surf plano, no trilho e nas curvas. Para avaliá-lo, meça a curva formada pela sua prancha em relação a uma superfície plana;

  • Low rocker: ideal para curvas longas e regulares e para surfar em alta velocidade. No entanto, este tipo de cartão é menos manejável e “planta” facilmente;
  • Rocker importante: o signo de uma prancha mais lenta, adequada para surfar em ondas profundas e potentes;

Roller – Durante um deslize, o surfista “bate” na crista com sua prancha, no ponto mais crítico da onda. Saindo dessa manobra, se for bem executado, o ganho de velocidade é muito importante;

S

Series – Nós falamos sobre séries quando as ondas chegam por grupo. Geralmente 6 a 7 ondas consecutivas;

Shaper – É o artista que desenha e faz as pranchas de surf;

Shortboard – O shortboard é uma prancha estreita, curta e fina. Por causa de seu tamanho, é muito reativo para gerar velocidade, fazer longas curvas ou tentar manobras. Com o seu baixo volume, é muito mais simples do que com uma prancha de espuma. Por outro lado, é mais difícil, por isso é reservado para os surfistas dominando pelo menos a descolagem e a curva inferior, ou seja, acostumados a fazer manobras e que já surfam a algum tempo;

Shorebreak – O shorebreak refere-se às ondas quebrando na praia. Ele pode ser muito violento. É por isso que não recomendamos aos principiantes que não conhecem bem o mar para aprender a surfar nestes tipos de ondas!

Sideshore – Vento que é paralelo à praia;

Single end – Prancha de surf com um único desvio. Encontramos esta montagem, na maioria das vezes, sob os longboards;

Storm ou MexidoQuando o mar está bagunçado por causa da quantidade de vento, com formação muito irregular de ondas e quebras aleatórias;

Strep ou LeashFamosa cordinha que prende o tornozelo do surfista a prancha;

Swell Movimento do oceano formando ondas cujas cristas se arredondam sem se partirem;

T

Tail – A tail (ou rabo em inglês) é usada para designar a parte de trás da prancha. Pode ter diferentes formas, cada uma com impacto no tipo de ondas de surf, velocidade e manobrabilidade;

Tail SlideManobra na qual o surfista derrapa a rabeta da prancha;

Take off – Segundo o Dicionário Inglês-Português, Take off significa decolar, e segundo o Dicionário do Surfista esse termo é a manobra básica de pegar a onda e levantar-se. Este é o passo fundamental para começar a navegar, seguindo as curvas de onda e encadeamento;

TerralQuando o vento sopra da terra para o mar;

Thruster end – Prancha de surf com três quilhas. Encontramos esta montagem, na maioria das vezes sob a maioria das pranchas de surf: shortboards, espumas, evolutivas, mini malibu…

Tomar na CabeçaO Dicionário do Surfista explica esse termo como a situação em que você está muito embaixo, entra uma série grande e não dá tempo de remar nem para o outside, nem para a areia? Então, o que vai acontecer a seguir é tomar na cabeça;

Tow-InPrática de surf que envolve o uso de jet-ski. O piloto do jet-ski puxa o surfista por uma corda e entra na onda para colocá-lo já em pé no drop dentro da onda;

Tubo – Quando uma onda é suficientemente oca e o surfista fica sob a crista, fala-se de “tubo“. Esta é uma das manobras mais difíceis de realizar e proporciona uma sensação única. Os surfistas estão procurando o tubo perfeito. Também chamado de barril, túnel,…

Twin end – Prancha de surf com duas quilhas. Encontramos essa montagem, na maioria das vezes, sob a prancha fish;

W

Wax – É a cera ou parafina a aplicar antes de cada sessão no convés (o topo) da prancha. Ela permite que o surfista aproveite totalmente sua sessão sem ter um sabonete embaixo dos pés. Deve ser escolhido de acordo com a temperatura da água. Então prefira uma parafina macia quando a água está fria e uma parafina mais dura em águas tropicais e mornas;

WildcardCompetidor que não está automaticamente classificado para uma divisão, mas participa de um ou mais dos eventos dela por ser um bom local do pico ou uma escolha do patrocinador. Todo evento do WCT, por exemplo, tem vaga para dois wildcards;

Wipe out, Vaca ou CaldoFamoso ato, mas nada desejável, de cair da onda por falta de equilíbrio ou durante uma manobra;

Z

Zona de impactoE no fim do Dicionário do Surfista, temos o termo “Zona de impacto“, onde a crista da onda chega a “fatiar” a superfície da água, é uma lâmina. Geralmente várias vezes seguidas. Uma área que todos os surfistas temem, e de onde você tem que fugir o mais rápido possível;

PRODUTOS RELACIONADOS

ver tudo para surf

COMENTÁRIOS (0)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

AVALIE ESTA DICA

DICAS RELACIONADAS